domingo, 15 de agosto de 2010

As batatas dos alemães


Uma coisa me intrigou bastante nesse lance todo de Alemanha. Assim que cheguei, eu e o Duds reparamos nas "batatas" dos alemães. Não na comida, mas o tamanho imenso das panturrilhas dos caras! A gente, brincando, falava da genética alemã.....Até que no sábado passado entendi tudo.

Na quinta passada o Matthias me deu a péssima notícia: tinha batido o carro. Combinamos então de no fim de semana irmos resolver essas burocracias todas juntos. Achar oficina, ver o preço do conserto. No sábado, então, vesti um modelito básico "barbie ciclista"e fomos nós, cada um em uma bike, achar um mecânico. Ah sim, esqueci de um detalhe básico, fomos na CIDADE VIZINHA procurar um mecânico. Até aí kein Problem! E todos aqueles km percorridos no parque da cidade, em Brasília?Tinham que servir para alguma coisa. A cidade vizinha ficava a 10km e eu fiz a corajosa e fui, sem pestanejar. A ida foi um passeio lindo: 8 da manhã, o friozinho do orvalho, os campos de trigo...Meu namorado lindo na frente, eu atrás freando nas descidas íngremes. Parecia que estava na novela Passione. (Ainda passa Passione aí? Como está?). Lá amarramos as bikes e fomos nós, ver mecânico, fazer comprinhas pro almoço....Coisa linda, gente!

Na hora de voltar, assim que eu sentei no banco da bike de novo, que dor horrível! O maldito banco masculino do Matthias tinha me destruído! Meninas, you know what I mean! Muita dor mesmo. E eu lá, nem perto de chegar, morrendo de dor, tentando pedalar em pé o tempo todo. E sobe calçada, desce calçada. Arg!! O caminho lindo da ida se transformou em uma sucessão de subidas incrivelmente íngremes, mais íngremes que antes, juro que elas se transformaram!!!Eu já estava toda suada, descabelada e reclamando mais que tudo, coitado do Matthias. Parei pra beber água, pra comer amoras, porque o saco de uvas caiu, nas rampas maiores, tudo era desculpa para parar um pouco. Morri!

Agora sim faz todo sentido do mundo as pernas dos alemães, principalmente os que se deslocam de bicicleta! Ach du meine Güte! Meu Deus em todos os idiomas possíveis. Palmas para eles.

2 comentários:

  1. Acabei de descobrir que eu devo ter "algo germânico" na minha genética!
    Sofro para conseguir fechar as botas de cano longo rss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As panturrilhas dos caras são IN-CRÍ-VEIS! Tem genética misturada com exercício físico, com alimentação...sei lá! Não conheço um alemão de canela fina! Bjos Gabriela!

      Excluir